Notícias

Lâmpadas mais usadas no Brasil vão sumir das lojas em até 1 ano

As lâmpadas incandescentes de 60 watts, as mais tradicionais para uso doméstico no Brasil, vão começar um gradual desparecimento das lojas a partir do dia 1º de julho, em razão de uma determinação do Governo. Daqui a um ano, não será permitido oferecê-las no varejo.

 

Isso acontece por causa de uma Portaria de 2010 dos Ministérios de Minas e Energia, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento que estipulou índices de eficiência para esses produtos. Mas os valores indicados são impossíveis de serem atingidos, o que inviabiliza a produção, explica Fábio Oliveira, engenheiro da empresa Lâmpadas Golden.

 

A partir do mês que vem, não será permitida a importação ou a fabricação de lâmpadas incandescentes que tenham entre 41 watts e 60 watts de potência. A comercialização no varejo será vetada daqui a um ano, mas a expectativa no mercado é que os estoques terminem em cerca de seis meses.

 

A partir de julho de 2016, não será possível comprar qualquer lâmpada incandescente, categoria que é a mais vendida no país. Foram 250 milhões de unidades comercializadas em 2013, de acordo com a Abilux (associação da indústria de iluminação).

 

Devem ser beneficiados os modelos fluorescentes compactos e de LED. As vendas desse último modelo mais que duplicaram entre 2012 e 2013, chegando a 16,8 milhões de unidades.

 

Segundo a ABilumi (Associação de Importadores do setor), a troca por uma lâmpada fluorescente compacta reduz a conta de luz em R$ 2 por mês, em média.
Fonte: Folha de São Paulo (10.06.2014)
Fonte: http://www.agas.com.br/site/default.asp?TroncoID=708180&SecaoID=648484&SubsecaoID=0&Template=../artigosnoticias/user_exibir.asp&ID=831817 – Acesso em 20 de junho de 2014.